terça-feira, 11 de setembro de 2012

Primaverando...


A Bíblia em um ano:
Ezequiel 25-27


Ipê amarelo, visto à frente do Palácio da Justiça, em Brasília. Fonte: Google.


“Veja! O inverno passou... Aparecem flores sobre a terra, e chegou o tempo de cantar...”
Cantares 2.11-12


Elas estão por todos os cantos. Árvores floridas em plena secura do inverno do planalto central. Estão enfeitando a cidade, quebrando a monotonia do cerrado árido. Vermelhas, rosas, brancas, laranjadas, amarelas, roxas. Flores de várias cores se desabrocham às centenas de milhares no alto dos sacambus, dos ipês, dos flamboyants, dos cega-machados, aos poucos transformando a paisagem de uma Brasília embaçada, quase monocromática em tempos invernais, em um canteiro onde a vida dita as regras.

Com licença, senhora secura! Abra espaço, senhor inverno! Elas chegam desrespeitando o sol causticante do finalzinho do inverno centroestino. Vêm irreverentes à feiúra que essa estação impiedosa impõe à nossa cidade. Mas vêm com graça, com beleza, com alegria, com vigor, trazer uma excelente notícia para os brasilienses e para os desesperançados de coração: a primavera está chegando!

É sempre uma excelente notícia saber que tempos difíceis estão se findando, sejam eles referentes à uma estiagem no tempo ou na alma.

Deus montou um planeta inteiro cheio de vozes que nos ensinam a todo instante sobre as Suas verdades irrefutáveis, e que nos indicam incansavelmente os Seus caminhos irreparáveis.

Na explosão de cores e vida que essas flores trazem, anunciando um novo tempo físico para nós, fica evidente a certeza que é possível ser útil e levar boas novas ao mundo mesmo antes de findar o inverno das nossas vidas. Fica claro que é possível levar vida mesmo quando tudo lembra a morte; que é possível fazer o bem mesmo quando tudo sugere o mal; que é possível fazer a diferença mesmo nos lugares mais improváveis.

Espere aí, Elaine! Você está falando de árvores, que seguem um ciclo natural. Nós somos humanos, e somos condicionados pela dinâmica das situações.

Concordo com você. Só não posso concordar com o fato que nós devemos nos permitir sermos condicionados pela dinâmica de qualquer situação. Situações que nos levam à depressão devem ser plenamente rejeitadas, tão logo sejam detectadas. Situações que nos aprisionem ao passado jamais devem receber nossa atenção. Situações que nos afastam de Deus devem ser descartadas, banidas totalmente do nosso caminho. (1Tessalonicenses 5.22)

E para conseguirmos evitar tudo isso, nós temos o Espírito Santo de Deus, nosso Jardineiro tão cuidadoso, tão amoroso e paciente. Ele dá às árvores do cerrado todas as condições naturais de resistirem e vencerem o inverno. E Ele dá ao homem pecador, fraco e limitado todas as condições espirituais de resistir e vencer o mal.

Florescer nos invernos da vida, então, é uma escolha que nós podemos e devemos fazer.

Um sorriso, um bom dia, uma atenção especial, uma auxílio, uma palavra de conforto, um gesto de respeito, uma demonstração de preocupação e interesse, uma atitude de obediência, um voto de confiança... O que será que você pode fazer hoje, que seja como uma flor cheia de graça desabrochando na vida de alguém?

Nós somos milhões. Já pensou como esse mundo árido e embaçado pelo pecado seria diferente se, pelo menos, aqueles que se chamam “filhos de Deus” florescessem pela graça que Deus lhes dá todos os dias?

Há muita gente cruzando o seu caminho hoje. Enfeite a paisagem à frente dela. Deixe florescer em cada galho seu, a vida e o amor do Senhor, que correm como seiva em seu interior. E encha de flores o lugar onde você está.

Seja sua vida um recado do Eterno, lembrando a cada passante que após o inverno sempre há uma primavera.