quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Deus de Justiça


A Bíblia em um ano:
João 14-18

Imagem: Google.


Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de Quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.
Romanos 5.1-2


Sabe, foi Deus quem te trouxe aqui...
É com essa frase que começa um dos louvores que mais tem conversado com meu coração nos últimos anos. E somente essa primeira frase traz consigo conteúdo suficiente para um sermão de, no mínimo, duas horas, capaz de impactar e mudar uma vida inteira para sempre.

Foi Deus quem te trouxe aqui. Foi Deus quem me trouxe aqui. Foi Deus quem nos trouxe aqui. E se o fez, foi com um propósito. Tudo o que suportamos, tudo o que choramos, tudo o que enfrentamos... Foi Ele quem nos auxiliou a cada instante, como um pai que ampara o bebê a ensaiar seus primeiros passinhos, segurando-lhe os bracinhos roliços e sorrindo à sua frente, enquanto lhe puxa carinhosamente e incentiva a pisar firme no chão e, simplesmente, chegar.


E Ele manda te falar que é preciso acreditar...
E esperar que no momento certo Ele vai agir...
Nós sempre nos esquecemos disso, não é? “Acreditar” e “esperar” são vocábulos que muitas vezes desaparecem do nosso dicionário espiritual, como num passe de mágica. Talvez pelas tantas dores a que já fomos submetidos nesta vida, talvez pela ansiedade típica de muitos corações (o meu já fez parte do grupo dos mais críticos neste quesito). Talvez por não conseguirmos ver Deus no meio de tantas nuvens espessas e sombrias que encobrem o céu das nossas vidas de época em época.

Porém, ver Deus à nossa frente não significa que Ele esteja agindo. Ver resultados, sim. Só que resultados não surgem do nada.

Existe um processo, um tempo de cálculos, desde o momento em que vemos os números armados e o momento em que terminamos de resolver uma operação matemática.

Existe um processo, um tempo de reflexão, desde o momento em que abrimos a Bíblia e lemos um versículo, e o momento em que uma mensagem repercute doce e calmamente em nosso interior.

Existe um processo, um tempo de raciocínio e estudos, desde que é detectado um problema até o momento em que o cientista encontra uma solução.

Existe um processo, um tempo de trabalho, desde que a faxineira chega e percebe o que precisa ser feito, até o momento em que ela guarda a última vassoura no lugar, e nos entrega um ambiente limpo, organizado e agradável.

Existe um processo, um tempo de aprendizagem que precisa ser respeitado, desde o momento em que o menino entra leigo numa sala de aula, no início do ano, e sai de lá ao término deste, alfabetizado.

Existe um processo, um estágio de formação, que começa na fecundação e termina no nascimento. E um estágio de transformação, que começa na lagarta, e repousa na crisálida, até culminar numa linda borboleta...

Sempre existe um processo. E o agir de Deus não foge à regra. Foi por isso que o poeta eclesiástico bem declarou: “Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3.1).


Ele despreza o exaltado e exalta o humilhado...
Mas entendamos: o desprezo de Deus nem sempre significa tirar os benefícios já concedidos aos exaltados. Muitos exaltados gozam uma vida que, certo modo, faz-nos questionar sobre a real justiça que está sendo exercida sobre nós.

Contudo, observe bem o buraco na alma de pessoas exaltadas e perceba quanta falta de Deus em suas vidas. Observe o vazio e a insatisfação que permeiam os corações das pessoas autossuficientes, arrogantes, esnobes.

Contraste com a paz e a satisfação que há na simplicidade dos corações dos humildes. “É melhor ter pouco com o temor do Senhor do que grande riqueza com inquietação. É melhor ter verduras na refeição onde há amor do que um boi gordo acompanhado de ódio.” (Provérbios 15.16-17)

E tire suas conclusões: Qual desses grupos de pessoas, de fato, está sendo exaltada por Deus? “Bem aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança” (Mateus 5.5).


Ele é Deus de justiça e tem uma obra em tua vida...
É tão difícil acreditar nisso quando olhamos para tudo o que renunciamos nesse mundo por amor a Jesus, e ainda estamos esperando uma solução para questões conflitantes que parecem se estender mais do que deviam...

Mas fica tão mais fácil acreditar nisso, quando olhamos para tudo o que Jesus renunciou por amor nós, e o quanto Ele já fez por nós sem nós merecermos absolutamente nada...

Se Ele, que era o próprio Senhor e Filho de Deus, foi submetido a duras provas e tentações, e foi exposto a tantas dores por causa de um objetivo de Deus, o que será que nos faz duvidar que não seríamos postos à prova por Deus ou afrontados pelo maligno também?

Se Deus andou formando o próprio Jesus – em quem jamais houve pecado (1João 3.5) – no deserto da vida, chega a ser uma criancice pensar que nosso caráter cheio de imperfeições e pecados não será lapidado por Deus também.


Creia que Ele tem poder pra te dar um saída...
É tudo o que queremos. Um afastamento. Um distanciamento de tudo aquilo que nos causa dor. Um sumiço do mapa. Um recomeço, onde ninguém nos conheça. Um exílio voluntário longe de situações e pessoas desagradáveis. Uma evasão. Uma saída pelos fundos, que nos permita deixar para trás tudo o que nos tem feito chorar até aqui.

Nossas almas cansadas de sofrer, de ouvir nãos, de esperar, de se machucar, de chorar, de suplicar, de esperar, de esperar... Elas precisam tanto se afastar de tudo isso para terem um pouco de descanso, não é?

Mas espere um momento...

Com esse discurso nós não estamos falando de saídas, mas de fugas. E fugas não são coisas de Deus. Ele não foge, nem orienta Seus filhos a fugirem dos problemas, mas a enfrentá-los de frente e louvando (2Crônicas 20.15-22; Atos 16.25-26). Ele nos toma pela mão e passa por cima dos despojos do mal, Porque Deus exalta os Seus amados que Nele guardam a fé e aguardam o momento de saírem com honra pela porte da frente.


Não é preciso se preocupar,
pois dos teus inimigos Ele vai cuidar.
E diante de ti contemplarás
o poder que tem a mão de Jeová...
Essa é promessa de Deus para nós. Envergonhar os inimigos das nossas almas, nos dando livramentos no momento certo, guardando nossas vidas ainda que andemos pelo vale da sombra da morte, ainda que passemos pelas muitas águas e pelo terrível fogo. Mudando nosso caráter cheio de culpas e limpando nossas almas, preparando-as para o Céu.

Tantos exemplos temos na Bíblia de homens jogados dentro de fornalha, dentro de cova com leões, dentro de toscas prisões, em rudes calabouços, e até dentro de cisternas. E todos receberam graça de Deus para suportar. Suas histórias foram registradas para nos lembrar que o mesmo Deus que lhes manteve firmes e vivos para exaltá-los em tempo oportuno, é o mesmo Deus que zela por Seus filhos ainda hoje.

E mesmo aquelas histórias de homens como Estêvão e Tiago, que experimentaram a morte dos seus corpos aqui antes de serem exaltados pelo Senhor diante dos homens, receberam um lugar para seus nomes no Livro da Vida e experimentam a exaltação em glória eterna no Céu. E essa é a mais importante de todas as nossas conquistas.


Não pare, não desista, não reclame siga em frente!
Vença a luta confiando somente no Senhor...
Nós não sabemos tudo o que Deus tem feito, nem como Ele tem trabalhado, nem aonde Ele tem chegado através das nossas vidas. Se pararmos agora, muitas pessoas podem ficar desprovidas da presença de Deus que flui através delas (das nossas vidas), mesmo que a intensidade dessa presença assemelhe-se a um feixe pusilânime de luz, quase exaurido na espessa escuridão. É nas nossas fraquezas que Deus manifesta Sua grandeza e Seu poder (2Coríntios 12.9).


Ele é Deus de milagres. Faz o fraco ser forte,
e o pequeno ser um grande vencedor...
Você já reparou como nós temos importantes conselhos e palavras profundas de consolo para darmos às pessoas que nos procuram quando estamos em conflitos?

“...Da fraqueza tiraram força, tornaram-se poderosos na batalha e puseram em fuga exércitos estrangeiros” (Hebreus 11.33). É isso o que a Bíblia relata sobre pessoas que tinham o Deus de milagres nos seus corações. Suas existências eram milagres que deixavam rastos da glória de Deus pelos caminhos que cruzavam.

Homens e mulheres indoutos diante do mundo, mas que calavam a sabedoria dos grandes pelo poder da Palavra de Deus transbordando em seus corações. Pessoas tidas como indignas nessa terra, as quais os Céus recebem com aplausos. Fracos que fazem o reino das trevas estremecer pela presença do Deus que despreza rótulos e reverencia o bom conteúdo.


Ainda não acabou! Nesse tribunal o juiz é o Senhor...
Diante dos argumentos contra nossa causa, e antes mesmo que o Juiz anuncie a sentença e bata o martelo, é tão fácil deixarmos a sala de julgamentos e, cabisbaixos, sairmos pelos corredores do tribunal da vida com a sensação de derrota, de perda...

É tão fácil recostarmos num dos cantos desses corredores, numa parede qualquer da desilusão, e suspirarmos com dores profundas em nossas almas, lamentando uma perda que ainda nem vimos ser decretada pelo Senhor...

Mas o julgamento continua. Vamos retornar à Suprema Corte Celestial. Vamos sentar ao lado do nosso Advogado Fiel. Vamos terminar de ouvir o Espírito e os anjos testemunhando a nosso favor. E vamos esperar o Supremo Juiz dar o Seu veredicto final.

Nós não sairemos de lá decepcionados.


Não deixe que as lutas, os problemas, os dilemas,
as ciladas e as muralhas te impeçam de vencer.
E o pior é que a gente deixa. São escolhas que podem fazer toda diferença na vida da gente, mas nós geralmente escolhemos errado. Escolhemos desobedecer. Escolhemos desacreditar. Escolhemos fugir. Escolhemos voltar. Escolhemos parar. Escolhemos não escolher.

Escolhemos ver tudo com pessimismo. Escolhemos não ver. Escolhemos nos afastar de Deus. E o resultado dessas escolhas numa lógica imutável sempre será mais sofrer.


Pois o Todo Poderoso, que não dorme e não falha,
não te deixa, sempre está com você.
Existem situações tão dilaceradoras em nossas vidas, que frases como essa parecem ser só uma frase de efeito sendo repetida por várias e várias vezes, não é? Tudo aquilo que está escrito no Salmo 121 parece simplesmente se tornar uma história da Carochinha, quando estamos morrendo aos poucos por dentro de tanta dor e não enxergamos uma saída pra nós.

Só que Deus é o Senhor. Ele não é como um de nós, que busca a todo custo convencer os outros sobre nossas virtudes e bom caráter. Deus não precisa enfeitar nada para que nós consigamos acreditar mais ou menos Nele e na Sua fidelidade. Basta falar uma vez. E tudo o que temos de fazer é crer nisso e prosseguir com vistas para Ele.

Deus não passará gritando às portas das nossas, nem ficará enviando e-mails e torpedos SMS pelas madrugadas, com mensagens sobre o Seu grande amor, cuidado e boas intenções para conosco. Ele não colocará uma faixa pendurada num viaduto, nem invadirá um programa de rádio, inventando uma forma nova para tentar nos convencer de coisas que já foram provadas no espetáculo da cruz.

Um espetáculo incomum e impressionante. A encenação mais bem produzida que alguém poderia criar, e feita de fatos reais. A apresentação mais fascinante que já existiu e mais extravagante, também. Um gesto de tal grandeza que ser humano nenhum jamais tentou repetir – até porque jamais poderia. “Foi na cruz que Cristo Se livrou do poder dos governos e das autoridades espirituais. Ele humilhou esses poderes publicamente, levando-os prisioneiros no Seu desfile de vitória” (Colossenses 2.15).

O Todo Poderoso que não dorme, não falha, e venceu o inferno e a morte por nos amar, não nos deixa e sempre está conosco. Se nós buscarmos a relevância dessa informação, tão simples e profunda, sempre que nossos corações forem tomados de tristeza e dor, toda dúvida passará. O Sol da Justiça brilhará e dissipará essa escuridão que nos envolve, trazendo cura sob Suas asas (Malaquias 4.2). E nossas perspectivas serão bem diferentes.


Coloque sua fé em ação.
Creia nesse Deus e seja um campeão.
De tudo o que foi dito, a conclusão e a certeza é essa: nossa fé acionada em Deus nos torna mais do que vencedores (Romanos 8.31-39). Isso é fato, assim como é fato que nossa ousadia em irmos além do que podemos ver é o que nos manterá seguros em Deus e triunfantes na Sua vitória.

Essa é a Graça de Deus sobre nós, outorgando os maiores dons e benefícios a gente como nós, que merece o pior de todos os castigos.

***

Já postei esse vídeo uma vez aqui, no blog.
Mas vale à pena conferir o que Deus repete sobre Ele para nós, através dessa canção.

Selecionei outra, igualmente intensa, para nos abençoar nesse dia.
Deleite-se.