quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Férias eternas...


A Bíblia em um ano:
Tiago 3-5

Imagem: By Gilvandro Gurgel.

 

“Ouvi uma voz forte que vinha do trono, a qual disse: Agora a morada de Deus está entre os seres humanos! Deus vai morar com eles, e eles serão os povos Dele. O próprio Deus estará com eles e será o Deus deles. Ele enxugará dos olhos deles todas as lágrimas. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor. As coisas velhas já passaram.”
Apocalipse 21.3-4

Enfim, recesso... Férias... Descanso.
Próxima parada: fevereiro de 2013.
Maravilha!

Depois de uma jornada de mais um ano coordenando uma escola com quase mil e quinhentos alunos, um merecido descanso.

Na verdade, este foi o ano mais difícil de todos, desde que comecei a trabalhar, há duas décadas. Juntamente com outros acontecimentos que me causaram (alguns ainda causam) momentos de grande tristeza, as dificuldades no trabalho neste ano, devidas principalmente às eleições, fizeram minha vida chacoalhar e isso, de certa forma, me deixou meio assustada.

Momentos de mudanças, de novidades, de perdas, de renúncias ainda maiores, de provações intensas quanto à minha fé, de tomada de grandes decisões. Momentos de encontros, de desencontros, de descobertas, de separação, de sorriso, de choro, de dor, de dúvidas, de de escolhas, de recomeços.

Momentos agitados, difíceis, exaustivos, marcantes, que me fizeram ansiar muito por esse período de descanso. Minha mente precisa. Meu corpo e minha alma também.

[Descansar é sempre maravilhoso.]

Fico pensando no nosso anseio pelo Céu, por descansarmos ali, naquele lugar tão lindo que Deus prometeu preparar para nós. Fico pensando em como temos nos esquecido dessa promessa...

Se onze meses de trabalho intenso nos deixam tão ansiosos por férias e descanso absoluto, que dirá uma vida inteira de desencantos, frustrações, alegrias também, porém, muitos perigos e dores. Uma vida inteira batalhando para sobreviver num mundo onde as pessoas valem quanto têm, onde o maior sempre devora os menores, onde nada é fácil para quem quer o que é certo.

De fato, viver nesse mundo é um grande desafio. Principalmente para aquelas pessoas que têm o Céu por objetivo final. Sobre essas, Jesus conversava com Deus: “Dei-lhes a Tua Palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como Eu não sou do mundo”. E comovido suplicava: “[...] Os livre do mal” (João 17.14-15).

Jesus sabia que nossas vidas aqui não seriam fáceis. Por isso, Ele Se ofereceu como a nossa estrutura principal, o sólido solo rochoso sobre o qual se elevam montanhas e vales. A base é a felicidade em ter e ser de Cristo. Mas isso não nos isenta das perseguições, dos danos, do sofrimento. E precisamente por estarmos em Cristo é que mesmo essas coisas podem ser usadas em nosso favor (Romanos 8.28).

Mas existe um Céu.
Existe um lugar melhor do que tudo isso que vemos, vivemos e temos aqui.

O eterno Céu é aquele lugar onde nossas almas finalmente terão descanso de tudo o que nos aborrece e causa desconforto e dor. É aquele lugar onde mal nenhum haverá e o medo também se mantém do lado de fora dos muros. E mesmo fazendo uso de todo o nosso potencial imaginativo, nós não podemos descrever o Céu nem supor tudo o que de bom ainda nos espera ali. A única certeza que temos acerca dele, é aquela que Paulo nos contou, “como dizem as Escrituras Sagradas: o que ninguém nunca viu nem ouviu, e o que jamais alguém pensou que podia acontecer, foi isso o que Deus preparou para aqueles que O amam” (1Coríntios 2.9).

É inimaginável, mas é real.

E nossas férias eternas, nosso descanso ali é possível, se assim quisermos. Porque Deus não nos deu o direito de escolhermos nascer em berço de ouro ou numa manjedoura. Ele não nos concedeu o direito de forçar as pessoas a gostarem de nós e desejarem viver ao nosso lado. Ele não nos permitiu escolher vivermos toda a nossa vida com plena saúde. Ele não nos perguntou se queríamos ser famosos ou vivermos no anonimato, ou no máximo com a amizade de parentes e conhecidos. Ele não nos permitiu escolher nascermos num país de primeiro mundo ou no mais pobre de todos. Mas Ele nos deu o direito de fazermos a mais importante decisão de toda a nossa vida: onde vamos passar a eternidade.

Que nós saibamos viver esse tempo curto de trabalho nesta vida da melhor maneira. Pois logo iremos embora de volta para Casa. A bagagem espiritual deve estar pronta. Logo entraremos em férias. E que o Céu seja o lugar eterno do nosso descanso.