domingo, 19 de maio de 2013

Buscando Deus

Imagem: Google.


“No meu desespero, eu clamei ao Senhor e pedi que Ele me ajudasse. Do Seu templo no Céu o Senhor ouviu a minha voz, Ele escutou o meu grito de socorro. [...] Lá do alto, o Senhor me estendeu a mão e me segurou; Ele me tirou do mar profundo. [...] Me livrou do perigo e me salvou porque me ama.”
Salmos 18:6,16,19


Quando um sonho já tão próximo parece regredir a se distanciar de nós outra vez, quando a sensação de perda novamente arrebata a esperança do coração, e a inevitável dor de dias tristes ressuscita, parar tudo e concentrar-se em Deus faz nossa alma fria aquecer-se outra vez. Sua doce presença derrete a dureza do nosso coração incrédulo e inseguro, e reacende a pequena chama que nos permite olhar para o futuro com alguma perspectiva.

Quando estarmos no caminho e na velocidade certa incomoda, fazendo com que os cansados sentados à beira dele lancem pedras e troncos para obstaculizar a estrada, quando os que vêm em direção contrária exercem uma grande força na pretensão de nos fazer retroceder com eles, quando aqueles que não têm condições de acompanhar nossa velocidade vão ficando para trás e elaborem seus pareceres perversos a nosso respeito, e quando os que nem ainda deram conta de sair dos seus lugares na largada formam uma torcida para que fracassemos em nosso percurso, voltar pensamentos, emoções e sentimentos à presença do Senhor renova nossas forças e ilumina os passos seguintes, mantendo-nos firmes e constantes até o fim da corrida.

Quando o medo engessa nosso ser e nos impede de correr ao encontro da nossa felicidade, quando a fuga parece a saída mais viável diante das novas oportunidades que a vida nos propõe, quando surpresas transformadoras acontecem deliciosamente mas de certa forma nos assustam, buscar incondicionalmente a voz de Deus e seguir calma a e confiadamente sobre as vias que ela traça adiante de nós, preenche o vazio existencial, promove em nós coragem para abraçar os desafios, e nos aproxima da satisfação e felicidade que nenhum livro, emprego, diploma, reconhecimento ou qualquer outro meio poderia nos ofertar.

Quando a frustração de sentir-nos incapazes nos impede de dar mais um importante passo, quando a culpa – pelo que de fato é erro nosso e também pelo que aparenta ser um erro mas não é – espanca nosso coração  e oprime nossas melhores intenções, e quando as impressões acerca das circunstâncias nos espremem a ponto de nos fazer sentir-nos os menores de todos os seres, recorrer à face do Altíssimo revela-nos a expressão Daquele que segura firmemente nossas vidas na palma de Sua mão, e dá-nos segurança outra vez ao ouvirmos Dele: “Grande é o seu valor neste mundo, você tem um lugar importante na vida de alguém, e você também merece ser feliz.”

Parece tão pouco resolver tantos dilemas gigantescos apenas através do gesto simples de buscar Deus, não é? Mas é precisamente aqui que está todo o sentido da nossa existência: na presença do Senhor.

Deus sabe que a grande maioria dos mortais não tem fé suficiente para encontrá-Lo em grandes milagres, em eventos extraordinários. E, por isso mesmo – por causa da Sua imensa misericórdia e bondade – Ele Se manifesta em situações simples, e fala por meio de eventos comuns, quase despercebidos do nosso dia a dia, de forma que Deus torna-Se acessível a todos (Romanos 10:12-13) e pode ser encontrado à distância de uma simples e sincera oração (Jeremias 29.13).

Faz toda diferença olharmos para o céu, depois de ouvir Deus sussurrar em nossos corações. Já não será mais um manto azul infinito simbolizando a monotonia de nossos dias exaustos de batalhas, dúvidas, medos e dores. Mas, sim, a expressão do grande abraço do Senhor sempre presente, nos envolvendo em qualquer situação, hora ou lugar onde estivermos.

E já não será mais uma cortina de melancolia sobre as lágrimas que molham nossos travesseiros em muitas de nossas noites tristes. Mas, sim, os olhos expectantes dos anjos, que aguardam o momento de nos aplaudirem de pé, quando nós atendermos, confiantes e animosos, às direções e certezas que o Senhor já colocou em nossos corações.

E depois, numa manhã que certamente romperá essa noite, o céu trará o sol sobre nós.