sexta-feira, 17 de maio de 2013

Sagrada Instituição

“Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente os de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente.”
1Timóteo 5.8


Imagem: Google.
Uma família é um campo fértil, que produz a cem por um e abençoa a o mundo com seus frutos bons.

Uma família é um lago cristalino de águas límpidas e fecundas, capaz de abastecer comunidades inteiras.

Uma família, tal qual Deus criou, é a instituição mais sagrada já posta sobre a terra.

Deus a ama e cuida zelosamente porque Ele, mais do que ninguém, sabe que o curso de qualquer sociedade passa primeiramente pela família. No lar é que os filhos aprendem a trilhar pelo bom caminho e a semear boas sementes enquanto prosseguem por ele. 

Mas dependendo de como se porta a família, no lar também estará toda fonte de desgraça de um povo. Para que a sociedade seja um organismo saudável, a célula mater que é a família deve ser preservada. O equilíbrio da sociedade depende da saúde da família.

No aconchego do lar é que está o sustento para que os filhos possam superar as inevitáveis frustrações do processo de maturação e, neles – nos filhos – os pais possam retomar as forças e os motivos para irem mais além, de forma que nem pais nem filhos param diante da vida.

Tão graciosa e importante é a família, que a arte, a ciência, a política, a medicina, a literatura, a própria economia, e até o mundo da fantasia têm sido coroados com esse tema em muitos dos seus maiores discursos e obras.

Pesa em nossos corações a imagem de uma família desfigurada pelo pecado, desconjuntada pela falta de amor e respeito, descaracterizada do seu projeto original, onde homem deixa seu pai e sua mãe, e apega-se à sua mulher, para que sejam “ambos uma só carne” (Gênesis 2.24).

Entristece nossas almas essa violência que tem permeado o solo sagrado da família, e desvirtuado os caminhos dos filhos, a fé dos pais e os princípios mais preciosos do lar, pois, em comum acordo às palavras de Henri Lacordaire, “o que é uma família senão o mais admirável dos governos?”

E como Jesus é o mais admirável dos governantes, importa que Ele seja o Senhor das nossas famílias. É a história quem mostra: Um lar edificado sob a bênção de Deus torna-se o mais poderoso arsenal de guerra contra o reino das trevas.