sábado, 26 de outubro de 2013

Nobre humildade



By Elaine Cândida, com imagem recolhida na Internet.


“Assim Davi venceu o filisteu com uma atiradeira e uma pedra; 
sem espada na mão, derrubou o filisteu e o matou.”
1Samuel 17.50


Existem pessoas que constroem obras suntuosas e, embora estas sejam admiradas pelos olhos dos homens, dentro deles tais pessoas permanecem esquecidas. Contudo, existem pessoas que são das menores no mundo, mas certos comportamentos seus marcaram as vidas de alguns de nós e, ainda que tenham deixado de existir – ou que viéssemos a conhecê-las após terem falecido –, seus exemplos se perpetuaram pelos anos e permanecem dignos de reverência.

Ao longo das histórias narradas pela Bíblia vemos exemplos assim. O grandioso templo de Salomão não foi o grande exemplo que ele nos deixou (embora alguns mercenários da fé insistam em tentar nos convencer que sim). A sabedoria que recebeu de Deus e a ciência de Salomão sim, são as características que mais se associam a ele e também o legado que ele nos deixou e que até hoje utilizamos.  

A ousadia e a desconfiança que levaram Gideão a testar o Senhor em Juízes 6:1-24 não são as qualidades que nos fazem lembrar-nos dele como um grande herói, mas a dependência de Deus que ele passou a ter e que levou aquele simples camponês a encarar um exército de 32 mil soldados fortemente armados e destros em batalhas tendo apenas 300 homens rurais sob o seu comando, foi o grande exemplo por ele deixado e que, quando relembrado, até hoje amplia grandemente a nossa fé outra vez.

Davi é outro desses exemplos. Ele foi o considerado o melhor rei que Israel já teve, mas a marca registrada desse homem é um feito que ocorreu quando ele ainda era um rapazinho que pastoreava as ovelhas do seu pai, num lugar bem distante do exaltado rei Saul: a derrota do gigante Golias, um hábil soldado filisteu, cuja altura era de “dois metros e noventa centímetros”, que “usava um capacete de bronze e vestia uma couraça de escamas de bronze que pesava sessenta quilos; nas pernas usava caneleiras de bronze e tinha um dardo de bronze pendurado nas costas. A haste de sua lança era parecida com uma lançadeira de tecelão, e sua ponta de ferro pesava sete quilos e duzentos gramas.”1

Penso que Samuel fez questão de narrar esses detalhes sobre como eram a armadura e os instrumentos bélicos de Golias, guerreiro com um enorme cartel de batalhas, para demonstrar quão reforçado e engenhoso é o mal, e mesmo assim é incapaz de resistir ao poder de Deus, ainda que Seu canal de manifestação entre os homens seja apenas “um rapaz, ruivo e de boa aparência”2, portando num alforje de pastor cinco pedras colhidas num riacho e levando uma atiradeira na mão.3

(Abramos aqui um parêntese para recordar que em nenhum momento a Bíblia diz que Davi era um adolescente franzino, fraco e pequeno demais para lutar com Golias. No capítulo anterior, quando os oficiais de Saul procuravam alguém para tocar um instrumento e expulsar os espíritos maus que se apoderavam desse rei, “um dos oficiais respondeu: ‘Conheço um filho de Jessé, de Belém, que sabe tocar harpa. É um guerreiro valente, sabe falar bem, tem boa aparência e o Senhor está com ele’4, referindo-se a Davi. Além disso, o gigante desprezou Davi não porque ele fosse uma criança, mas porque sua aparência contava que, embora ele tivesse potencialidades físicas que o capacitaram a ferir e matar um leão e um urso5, Davi não se parecia com um guerreiro e não tinha habilidades para usar armadura e equipamentos de guerra sem treinamento e instruções prévias, como ele mesmo expressou a Saul: “Não posso andar com isso, pois nunca os usei.”6)

Certamente para Davi era uma missão bastante simples ir até o lugar onde seus irmãos estavam lutando contra os filisteus juntamente com o rei Saul e com todos os homens de Israel, apenas para trazer notícias sobre eles a seu pai7. Mas Deus já tinha outro propósito, bem maior e mais necessário, com aquela viagem de Davi. Através da simplicidade e do estilo de vida de Davi, cegamente crente em Deus e dependente do Seu cuidado, o Senhor daria uma maravilhosa demonstração do que Ele é capaz de fazer quando habita dentro de um coração humilde, obediente e que não se firma sobre as coisas grandes deste mundo mas sobre a grandeza e fidelidade do Deus Vivo.

Importa sabermos que Deus não está dentro de grandes templos, nem procura gente que queira impressioná-Lo com obras, por maiores e mais bem elaboradas que elas sejam. O Deus que arquitetou e construiu com Suas próprias mãos todo esse magnífico universo e tudo o que nele há, o Deus que concede e tira o fôlego de vida dos seres, o Deus que dá sentido à existência e preenche a alma vazia do homem – coisa que a ciência, com toda a sua engenhosidade e potencial jamais conseguiu fazer – habita no improvável: na simplicidade de um coração capaz de amá-Lo e de entregar-Lhe a chave do seu destino.

Há um pensamento lindo (dentre tantos) de um amigo muito querido, que reafirma a realização, a satisfação pessoal que passamos a ter quando em vez de oferecermos nossas mãos para impressionar a Deus com nossas grandes obras, Lhe oferecemos nosso coração, para que Sua esplêndida glória realize uma grande obra em nós. “É na humildade que deveriam morar nossos deuses. Houve um tempo em minha vida em que meu deus morava num templo suntuoso, com sino na torre, fachada admirável. Hoje, as pedras do caminho lapidaram meus pés, meu deus agora habita uma humilde cabana construída dentro de mim, não há lugar melhor para ele estar.” (Moacir Willmondes)

Não há mesmo, amigo Will, porque é assim que coisas loucas confundem as sábias, e as fracas confundem as fortes8. A presença de Deus impressiona o mundo, porque nasce nos pequenos gestos de corações imperfeitos, reduzidos e desprezíveis, e alcança vidas, apontando-lhes o caminho da perfeita graça, a nobreza do perdão e a infinitude do amor e da bondade do Senhor.

É que nos valores do Reino, essas pequenas obras são as que podem assumir proporções eternas.




____________________

[1] 1Samuel 17:4-7
[2] 1Samuel 17:42
[3] 1Samuel 17:40
[4] 1Samuel 16:18
[5] 1Samule 17:34-37
[6] 1Samuel 17:38-39
[7] 1Samuel 17:8-24
[8] 1Coríntios 1:25-29