terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A importância da Graça



Entrai pelas portas Dele com gratidão, e em Seus átrios com louvor;
Louvai-O, e bendizei o Seu nome!
Salmos 100:104



Imagem disponível na Internet.
As homenagens póstumas dirigidas a Nelson Mandela (1918-2013) nesta terça-feira, no estádio Soccer City, em Soweto, África do Sul, mexeram muito com meu coração, ansioso por uma melhoria pessoal diante de Deus.

Não pelos discursos bonitos dos dignatários que ali estavam, mas pela alegria do povo africano, que explodia em júbilo e emoção cada vez que os grandes feitos e a personalidade forte de Mandela eram recordados e exaltados nas bem elaboradas oratórias dos chefes de Estado e de Governo de todo o mundo.

Olhando para a história do povo africano – que nos conta de lutas severas, de sofrimento, da humilhação, da exclusão de um povo cujo sentimento recebido dos seus opressores era menor que aquele dispensado aos animais das savanas –, e contemplando a exultação com que esse povo hoje celebra sua liberdade, podemos perceber um pouco do tamanho da gratidão daquelas pessoas ao homem que dedicou sua vida em favor das vidas deles.

Quão importante é ser livre! E quanta gratidão há nos corações libertos!

É lamentável que nossas atitudes não revelem tanta gratidão ao Cristo que entregou Sua própria vida neste mundo para que nós tivéssemos direito à vida eterna.

Fico pensando em como Jesus nos encontrou pelo caminho: Sofridos, humilhados, excluídos da graça, oprimidos do pecado, vazios, infelizes, despedaçados pelas muitas aflições da vida. Muitos de nós até nem tinham mais esperança, e outros tantos de nós já não tinham nem mesmo razão de ser...

Liberdade, foi isso que Cristo, nosso Redentor, nos trouxe com Sua prisão. Vida, foi isso o que Ele nos deu com Sua morte. Eternidade, foi isso o que Sua encarnação veio nos trazer. Perdão de Deus e amor incondicional, foram essas bênçãos divinas que, sem merecermos, trouxeram-nos novo futuro e nova esperança.

Só quem reconhece a importância da graça de Deus sobre suas vidas consegue ter um coração grato e fazer de cada dia um culto de louvor e agradecimento ao Senhor. Só quem reconhece o que era antes de Cristo e o que passou a ser e ter depois de conhecê-Lo, é que busca tornar-se alguém melhor a cada nova manhã.

Só quem experimentou um novo nascimento, não consegue mais continuar naquela mesma vida de mentiras, de hipocrisia, de mágoas, de solidão, de pensamentos, desejos e sentimentos maus. Mesmo com momentos tristes – inevitáveis, segundo a Bíblia – consegue cantar, erguer os olhos aos céus e enxergar a imponência e o controle de Deus infinitamente acima da grandeza das circunstâncias. E mesmo nos seus momentos mais elevados, remete-se à supremacia do perdão do Pai, e submete seu orgulho ao senhorio de Cristo.

Só quem sentiu a ternura do amor de Deus e foi redimido por Sua graça, provou da Sua compaixão e compreensão, sabe retribuir isso aos Céus fazendo as mesmas concessões aos seus semelhantes. Sabe valorizar isso buscando nos ensinos bíblicos os melhores exemplos a serem seguidos. Caminham com pessoas que lhe aproximam mais de Cristo. Fazem da humildade seu maior referencial, e das pegadas do Mestre fazem um mapa a ser seguido a qualquer custo, mesmo quando seu caminho parecer difícil demais.

Afinal, se o mundo consegue dispensar tantos louvores e honras a um mortal que fez o que lhe foi possível para haver um pouco mais de paz aqui, quanto mais devoção e glórias o cristão salvo deve ao Ser Imortal que rompeu os limites do impossível para que os homens pudessem viver em paz com Deus, desde agora para todo o sempre.

E nesse ajuntamento de pessoas gratas e dispostas a seguir o legado de um homem que lhes deu honra entre os outros homens, temos mais um grande sinal da importância e da necessidade de seguirmos o legado do Filho do Homem, que nos deu vida eterna, reconciliação com Deus e honra acima dos anjos.