domingo, 18 de maio de 2014

Divino Condutor


Imagem: Disponível na Internet.


“Ensina-me o Teu caminho, Senhor,
para que eu ande na Tua verdade.”
Salmo 86:11


Caminho de volta da Bahia para Brasília, quase setecentos quilômetros de percurso, inicialmente com uma estrada esburacada, de sentido duplo e sem acostamento. Assim voltávamos para nossas casas, quatro pessoas, depois de cumprirmos uma missão acadêmica em Santa Maria da Vitória.  O motorista era um desses professores, e foi conosco exclusivamente para dirigir.

Depois de quase três horas de viagem, numa estrada estadual relativamente perigosa, encantados com as belas plantações e criações de gado que presenteavam nossas vistas naquela tarde quente, tornando nossa viagem mais agradável, uma chuva repentina caiu fortemente sobre nós, por um longo trecho, obrigando o motorista a diminuir a velocidade, aumentar a atenção e o cuidado. Nós, porém, confiávamos nele.

Um professor, sentado no banco de trás, dormia, independente da chuva. Uma professora mais atenta, conversava tranquilamente sobre a chuva, sobre o carro da frente, e sorria. E eu, observando as nuvens escuras tentando ocultar o azul celeste salpicado de nuvens brancas mais ao horizonte, senti grande paz em ter ao volante daquele veículo alguém em quem eu poderia confiar plenamente.

Semelhante às estradas da vida, que nos levam por essa nossa viagem para a eternidade – que é inevitável –, é muito importante ter alguém de confiança ao volante. Alguém que saiba o que está fazendo e transmita segurança aos passageiros.

Somente consigo ver esse alguém em Deus, o Senhor dos senhores. O Deus Eterno, único conhecedor de todas as eras, inclusive das que ainda virão. “De eternidade a eternidade, Tu és Deus”[1]. E, por isso, nós confiamos Nele.

Ele conhece cada um dos buracos, desvia-Se – e desvia-nos, quando confiamos Nele – cuidadosamente, jamais faz manobras arriscadas. Divino Condutor, o especialista em dirigir vidas. Um mecânico especializado em fazer nelas os reparos necessários em decorrência dos desgastes que sofremos, correndo o risco de, quebrados por algum desses infortúnios da vida, pararmos à beira do caminho, sem condições de prosseguir. E essas certezas nos dão segurança para continuarmos crendo Nele.

Um guia excelente, exímio condutor, que sabe para onde está indo, que sabe como chegar lá em segurança, e que tem prazer em nos levar com Ele. Sua única exigência é que confiemos Nele. E que façamos isso plenamente. Pois “bom e justo é o Senhor; por isso mostra o caminho aos pecadores. Conduz os humildes na justiça e lhes ensina o caminho. Todos os caminhos do Senhor são amor e fidelidade para os que cumprem os preceitos da Sua aliança.”[2] E é por isso também que nós confiamos Nele.

A chuva passou. O Céu estava lindo outra vez, quando comecei a escrever. Mas, logo, a noite, inevitavelmente, caiu. E nem isso foi motivo para pararmos. A viagem continua. Logo estaremos em casa. Nosso motorista é bom no que faz, nós também confiamos nele.

Um homem bom, zeloso e responsável realizando uma incumbência que lhe foi dada, inspira pessoas a pensarem em Deus. Quão maior inspiração nos dá o próprio Deus, que é infinitamente melhor que qualquer pessoa nessa terra...

O Eterno corre quando é necessário e o faz com precisão, mas multiplica ainda mais Seus cuidados sobre nós quando as chuvas nos pegam pelo caminho, ou quando a noite vem nos visitar. Contudo, os temporais vêm e passam, a noite escura sempre acaba cedendo seu lugar para um novo dia. – Evidências de que vale à pena ter esperança em meio às tempestades ou à escuridão, sinais que nós podemos e devemos confiar Nele. – E nada disso é capaz de embaçar a visão ou dispersar a atenção do Senhor de sobre nós.

Assim, nossa viagem para o infinito continua, guardando as promessas de termos paz em todo esse longo percurso, até que cheguemos seguros com o Senhor à nossa eterna casa.

Ele é o Condutor que jamais falha, e nós jamais deixaremos de confiar Nele.





[1] Salmo 90.2
[2] Salmo 25:8-10