sábado, 22 de novembro de 2014

Acima de todo trono...


Imagem disponível na Internet.
“O Trono [de Deus] é o verdadeiro centro do universo. 
Esse trono não está na terra, mas no céu. 
O universo na Bíblia não é geocêntrico, nem hiliocêntrico, mas teocêntrico. 
Aqui temos a verdadeira filosofia da história.”
(Rev. Hernandes Dias Lopes, disponível aqui. – Grifo meu.)


“...E vi o Senhor sentado num Trono alto e sublime...”
Isaías 6.1


Quando João recebeu a visão do futuro através da revelação do Apocalipse, antes da perseguição à Igreja (abertura dos sete selos) e do juízo parcial (sete trombetas) e final (sete taças) de Deus ser derramado sobre o mundo sem salvação, o profeta teve a visão do Trono de Cristo, entronizado e governante sobre todo o universo[1].

Posto que tratam-se de revelações sobre ocorrências no céu que produzirão efeitos na terra, essa visão é um alívio para as almas angustiadas que, por algum motivo muito intenso (que, às vezes, somente elas e Deus conhecem), estão perdendo as suas esperanças, sentem-se enfraquecidas, pensando que o Senhor tenha perdido ou abandonado o controle das circunstâncias. Antes de tudo, estavam o Trono e o Senhor esplêndido, excelso, perfeitíssimo acima de tudo o que possa existir. No controle de tudo estava Jesus.

Nós, seres humanos, temos uma tendência natural de entronizarmos tudo o que parece grande para nós. Sejam pessoas adoráveis, sejam sentimentos agradáveis, sejam grandes frustrações, seja uma tristeza insistente, sejam projeções e lugares de honras dados pelos homens ou pelos bens que possuímos, seja um objeto muito estimado, sejam desejos desenfreados, enfim, seja o que for que pareça importante demais para nós, comumente recebe um lugar mais alto na nossa escala de valores, de prioridades e de motivações. E, muitas vezes, chegamos até a destronar o próprio Deus em nossas vidas, ao dedicarmos tanta atenção e cuidados a outras coisas.

Curiosa essa reflexão, pois um trono é um lugar de honra, de autoridade e de julgamento. E deixar que qualquer outra coisa ou pessoa o ocupe em nossas vidas é entregar a essa coisa ou pessoa o total domínio sobre nós. “Pois onde estiverem as suas riquezas, aí estará o coração de vocês”[2], disse Jesus.

Contudo, a dor de uma perda não pode ser maior que o poder curador do Deus que está assentado no trono[3]. A tristeza profunda que tenta nos consumir dia a dia diante das frustrações que a vida nos traz, não pode ser entronizada no lugar que pertence àquele que é Senhor[4]. Mais alto que a soma das nossas posses, mais importante que a presença das pessoas, mais precioso que a conquista de todos os nossos sonhos ou a imensidão de todas as nossas desilusões, está o Deus que é Rei de toda glória[5].

Maior que a fraqueza que tenta nos sucumbir é o Trono do Senhor. Mais alto que nossos medos está o Senhor no Seu Trono. Mais forte que a solidão a imperar em nosso ser é o poder do Deus Eterno entronizado nos céus. Mais elevada que nossas perdas é a Graça que nos é derramada sem medidas do Trono do Príncipe da Paz. Infinitamente mais intensa que o pecado em nós é a misericórdia que emana do coração do Pai das luzes que habita entronado acima até dos mais altos anjos. Muito além de qualquer das nossas necessidades, está o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

Verdades como essas não foram reunidas na Bíblia em vão, assim como não foi em vão a luta intensa de tantos mártires no decorrer dos séculos para tornar a Bíblia um livro acessível a todos, de forma que todos os homens pudessem conhecer essas verdades. Deus queria que Seus filhos soubessem o quanto Ele Se importa conosco, mesmo sendo Ele tão Alto e, nós, tão pequenos.

Antes do peso imensurável de todo o sofrimento, juízo, fim e recomeço da terra, João viu o Trono, viu Jesus, e viu que o Senhor detinha o poder sobre aquelas coisas, as mais extraordinárias que nossos olhos jamais puderam ver ou nossa mente imaginar. E esse é o caminho a ser trilhado por nós também, se quisermos manter nossa paz e satisfação em Deus, enquanto lidamos com o peso do fardo – que é só nosso –  aqui.

Porque Ele é o Deus cujo domínio jamais terá fim[6]. O Deus que está assentado num alto e sublime Trono – um Trono[7] acima de todo e qualquer outro. E mesmo assim Ele nos toma por filhos, e filhos têm acesso irrestrito ao seu Pai. “Por isso tenhamos confiança e cheguemos perto do Trono Divino, onde está a Graça de Deus. Ali receberemos misericórdia e encontraremos Graça sempre que precisarmos de ajuda.”[8]  

O Trono de Cristo está acima de tudo, acima até mesmo dos nossos piores infortúnios. E nós não podemos nos esquecer disso.








[1] Apocalipse 5
[2] Mateus 6.21 – NTLH
[3] Apocalipse 5.13
[4] Filipenses 2.11
[5] Salmos 24.8
[6] Isaías 9.7
[7] Isaías 6.1
[8] Hebreus 4.16 – NTLH