terça-feira, 16 de junho de 2015

Sem poder voltar para casa...






"Mas entendam isto: Se o dono da casa soubesse
a que hora da noite o ladrão viria, ele ficaria de guarda
e não deixaria que a sua casa fosse arrombada.
Assim, também vocês precisam estar preparados,
porque o Filho do homem virá numa hora em que vocês menos esperam."
Mateus 24:43-44 - NVI


“Como voltar para casa agora?” – Pensei, depois que (mais) uma paralização relâmpago foi causada pelos rodoviários em Brasília. (Essa novela do transporte coletivo aqui parece que não vai acabar nunca...)

O fato é que a sensação de não ter como voltar para casa é horrível! Eu tinha ido ao médico. E eu fui de ônibus. Mas ao chegar ao ponto de parada, percebi algo estranho. Apenas o itinerário para a cidade satélite onde moro no DF não estava circulando.  Certa forma, fiquei irritada. Mas isso não resolveria o meu problema. Agora, eu tinha de pensar e agir rápido: “Como voltar para casa agora?”, eis a questão.

Ficar no meio do caminho, muito longe do meu lar e do descanso que ele me proporciona, longe das minhas coisas, das pessoas que conheço... Tudo isso é muito ruim. Tudo isso é muito chato!

Tudo bem, era só uma paralisação de rodoviários, não era o fim do mundo. Mas até pode ser para alguns. Não o fato de não poder voltar para casa depois de resolver algo na rua, mas o fato de não poder voltar para Cristo depois que a Igreja cumprir a sua missão no mundo.

“Num abrir e fechar de olhos” [1], essa é a velocidade com que serão arrebatadas da terra aquelas pessoas que amaravam a volta de Cristo e a aguardaram com os seus corações.

De repente, quem ouvia as mensagens do povo barulhento, será surpreendido com um repentino silêncio. Quem conversava com um redimido não o terá mais adiante dos seus olhos. Ferramentas caindo ao chão, vozes cessando, transportes sem seus comandantes, sorrisos interrompidos. Aconteceu. O arrebatamento tornou-se fato, e ninguém poderá reverter isso.

Temor, desconforto, curiosidade, desespero, remorso. Sentimentos legítimos de quem perceber a partida dos salvos e não for junto com eles. “Também quero ir!”, alguém finalmente consegue desejar. Mas não haverá mais transporte. Não haverá mais Espírito Santo para conduzi-lo. A porta da graça cessou. O que fazer para voltar para casa?

Bem, depois do arrebatamento da Igreja, ainda haverá uma possibilidade muito remota: Será necessário resistir à marca da besta [2]. Contudo, antes desse evento, isto é, desde já, desde agora, o homem pode programar seu destino para viver livre de todo o sofrimento da grande tribulação que virá [3]. A saída é entregar a vida aos cuidados de Jesus e se dispor a seguir as Suas pegadas [4]. Ele é o caminho, a verdade e a vida, e ninguém vai ao Pai a não ser por Ele [5]. Ninguém mais tem as palavras de vida eterna [6]. Em nenhum outro há salvação, pois nenhum outro nome foi eleito por Deus entre os homens para salvá-los [7]. Sem Ele, nada podemos fazer [8].

Infelizmente, hoje, são poucos os servos de Deus que ainda empregam seu tempo, dons e saliva para anunciar a volta do Senhor Jesus e ensinar o caminho da salvação. E um número de pessoas absurdamente grande e cada vez maior (incluindo cristãos) ignora a iminência desse evento extraordinário ou, simplesmente, desacredita dele.

Prove você mesmo: Os sinais preditos por Jesus no capítulo 24 do Evangelho segundo Mateus, são cada vez mais reais. As Suas palavras não passaram [9]. E, por isso mesmo, Seus olhos não cessaram de procurar Seus fiéis sobre a terra [10]. A minha oração sincera é que você seja um deles, e não precise cair em desespero quando perceber a ausência daqueles que se preparam para viver eternamente com Jesus.

Seja pela morte, seja pelo arrebatamento, importa que estejamos prontos para nos apresentarmos diante do Senhor e ouvirmos de sua própria boca: “Venham, benditos de Meu Pai! Recebam como herança o reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo.” [11]

Se duas horas de paralisação dos rodoviários provocam um caos numa cidade inteira e produzem uma sensação incrível de desconforto para quem não pode voltar para casa aqui, imagine o tamanho da dor, do desespero e do arrependimento que haverá nos corações do mundo inteiro, quando descobrirem que não poderão mais voltar para o Lar Eterno...


[1] 1Coríntios 15.52
[2] Apocalipse 13
[3] Daniel 9:24-27 e Mateus 24.15-30
[4] Lucas 9:23-24; 1Pedro 2.21
[5] João 14.6
[6] João 6.68-69
[7] Atos 4.12
[8] João 15.5
[9] Mateus 24.35
[10] Salmos 101.6
[11] Mateus 25.34